Guia de Raças

Cachorro Alano Espanhol (Buldogue Espanhol)

Alano Espanhol (Em espanhol: Alano Español), também chamado de Buldogue Espanhol, é uma raça de cachorro tipo   molossoide originária da Espanha.

Alano-Espanhol

Origem

Falando apenas da raça moderna, e não da sua origem propriamente dita. O que sabe-se ao certo, é que esta não é uma raça que foi originária a partir de raças que conhecemos hoje em dia, e sim de uma série de cruzamentos entre cachorros que já não existem mais, e por isso a dificuldade de conseguir fazer um mapeamento mais preciso dos antepassados do Alano Espanhol. Alguns autores consideram-no descendentes de cachorros antigos chamados Alaunt, que eram utilizados na briga ou no pastoreio de gado, desde a época dos Sármatas na Ásia Central, no século I.

A existência dos Alanos na Espanha remonta há vários séculos, mas não está muito clara a sua origem. Alguns acreditam que esta raça foi difundida pela Europa pelos  Alanos no século IV e, foi levado para a Península Ibérica e norte da África pelos vândalos durante uma transumância.

Esses povos eram conhecidos por manter os cachorros boiadeiros grandes que tornaram-se a base para muitos tipos regionais de Alaunt. A primeira referência escrita formal para a raça em Espanha está em um capítulo do século XIV: Livro da Caça de Alfonso XI (Libro de La Montería de Alfonso XI), no qual os cachorros de caça chamado Alanos são descritos como cachorros de belas cores. Os cachorros deste tipo viajaram com os exploradores espanhóis e foram usados como cachorros de guerra (como era o seu papel na Eurásia antes da migração) na subjugação do índio (nativo americano) os povos, bem como na captura de escravos.

A luta entre um touro e cachorros Alanos foi gravada por Francisco de Goya, em sua série sobre La Tauromaquia em 1816. Além de sua utilização na arena, também foram utilizados para outras caças como o javali. Os cachorros de grande porte começaram a desaparecer à medida que o trabalho começou a mudar. Grande jogo tornou-se rara, pátios foram modernizadas e já não usam cachorros para prender o gado, o uso foi proibido em touradas, e em 1963, foram deixados para ser extinto. Na década de 1970 um grupo de amadores e estudantes de veterinária fez de casa em casa pesquisas no norte, e oeste da Espanha, e encontraram alguns exemplares desses cachorros na região do Basco, Enkarterri e Cantábria, sendo usado para pastorear gado semi-selvagem, e caçar selvagens como javalis.

Um padrão foi escrito e os cachorros foram documentados, e foram criados, e os Alanos foram reconhecidos como raça independente pela La Real Sociedad Canina de España em 2004, embora estudos anteriores na Universidade de Córdova tinham esclarecido que o Alano é uma raça distinta de qualquer outra raça a nível genético. O Ministério da Agricultura da Espanha reconhece o Alano Español como uma raça autóctone espanhola.

Alano-Espanhol

Características

Com certeza, discrição passa longe de um Alano Espanhol. Isso porque trata-se de uma raça de porte grande muito robusta e musculosa. Olhar para um Alano Espanhol pode ser uma excelente forma de imaginar como seriam as raças mais antigas, porque sua aparência é primitiva, e de acordo com especialistas, ainda guarda muito do que eram seus ancestrais.

Com uma cabeça grande e robusta. Os machos não devem ser menores do que 58 centímetros na altura da cernelha, e deve pesar entre 34 e 46 kg sendo que as fêmeas são ligeiramente menores, mas tendem a não ficarem muito abaixo disso.

O focinho é curto e com o maxilar inferior ligeiramente côncava e muito grande, nariz largo preto. As orelhas são inseridas altas e pode ser naturais ou cortadas. A pele é muito espessa, com pregas no pescoço e algumas rugas no rosto. A pelagem é curta e grossa, mas nunca aveludada, e é mais frequentemente um tigrado do que outras cores; fulvo, preto, ou cinzento são outras cores da raça. Peito branco é aceitável, mas não a prevalência de branco. Pode ou não ter focinho preto.

Possui uma grande explosão na hora da corrida como característica que foi mantida do tempo das touradas, e também das caças, portanto possui as patas traseiras mais fortes e também em um ângulo reto quando comparada com as patas dianteiras.

A cauda dele é outro ponto muito interessante. Ela possui uma estrutura mais grossa do que o convencional, apesar de não ser muito grande. Ela nunca pode ser cortada, de acordo com os criadores, porque eles utilizam-na como forma de equilíbrio na hora da corrida, principalmente para fazer curvas.

Peso: Macho de 34 kg a 46 kg

Fêmea de 32 kg a 44 Kg.

Altura: Macho de 55 cm a 63 cm

Fêmea 53 cm a 60 cm.

Grupo:
Funções: Caça.
Grau de Atividade: Alto
Pêlo: Curto
Cor: Tigrado de qualquer cor, preto e rajado, ou lobo-zibelino.
Nome de Origem: Alano Español.
Pais de Origem: Espanha
Registro FCI:

Alano-Espanhol02

 Temperamento

Desde que a raça foi utilizada para a caça em matilhas, é muito sociável com outros cachorros. Todos os cachorros de grande porte devem ser bem socializados com os seres humanos e, outros animais quando jovens se forem para ser como animais de estimação.

Trata-se de uma raça que ainda não acumula uma grande quantidade de informações oficiais sobre o seu comportamento, ainda mais porque não costuma estar com famílias urbanas, por exemplo, já que acaba sendo um cachorro mais do campo. Sabe-se que ele ainda guarda um comportamento ancestral de caça. Apesar disso, diversas pesquisas que foram realizadas com tratadores dos cachorros que foram encontrados na Espanha chegaram à conclusão de que trata-se de um cachorro com presença dominante, mas que respeita muito o seu dono.

As famílias do campo que utilizam este cachorro ainda para atividades de controle do boi acabam também tratando-o como parte da família, o que demonstra que a raça também pode ser bastante carinhosa, além de dar-se bem com crianças, por mais incrível que possa aparecer.

Em compensação, esta é uma raça que não vai evitar em atacar qualquer pessoa estranha que aproxime-se do seu território. E entende-se por seu território não apenas a casa, mas também o campo onde costuma trabalhar. Portanto, pode ser um cachorro extremamente violento. Não costuma latir muito, ou seja, ele vaia tacar sem avisar.

 

Curiosidades

A primeira impressão da maioria das pessoas que acabam tendo contato com esta raça, é uma aparência assustadora, de poucos amigos. Apesar de ser encontrado no Brasil com esta nomenclatura de Buldogue, apenas alguns elementos do rosto do Alano, como o focinho, podem ser comparados com o primeiro. Mas, especialistas afirmam que estes animais, apesar do tamanho e do porte que assustam, podem ser bons companheiros tanto dos humanos quanto também de outros animais, mas isso vai depender de uma boa criação.

A raça ainda é considerada pouco populosa, e não sendo reconhecida internacionalmente pela Féderation Cynologique Internationale, sendo encontrado na Espanha, e em alguns outros países da Europa, como Portugal.

Sabe-se também que alguns foram levados para a América do Norte, onde por alguns criadores estão promovendo o temperamento e a habilidade de caça, mas não existem informações precisas sobre a população desta raça por lá. No resto do mundo, a presença destas raças é praticamente nula.

Alano-Espanhol03

Dicas

Além da velocidade e também da força da sua mordida, suas habilidades maiores estão em questões comportamentais. Trata-se de um cachorro extremamente leal ao seu dono, e não vai medir esforços até que consiga realmente proteger ou atingir qualquer que seja seu objetivo, com base nas ordens do seu mestre. Fora isso, costuma ser equilibrado dentro de casa. Outra habilidade um tanto quanto exclusiva de sua raça é a capacidade que este cachorro tem de subir em árvores, com uma agilidade que em alguns casos podem ser comparadas a de um felino.

Quase nunca tem problemas com queda de pelo e os tratadores costumam passar uma escova com cerdas grossas para que os pelos não fiquem tão rígidos. Os Alanos necessitam de atividades e exercícios regularmente.

 

Saúde

Esta raça apresenta uma excelente condição física de um modo geral. Costuma apresentar poucos problemas de saúde, e conseguem manter um ritmo de trabalho acelerado por muitos anos. De acordo com as pesquisas recentes feitas com esta raça, ele não tem propensão a doenças. Além de não ter problemas físicos aparente, os criadores atestam que ele possui um ótimo sistema de defesa contra qualquer tipo de invasor que tente entrar no seu organismo. A média de recuperação destes cachorros contra maioria dos vírus e bactérias, que podem causar algum problema, é de cinco dias. Expectativa de vida varia entre 11 anos a 14 anos.

Preço

O preço médio do filhote de Alano Espanhol pode variar de R$ 2.500 a R$ 5.000.

Alano-Espanhol04

Leia Também:

Cachorro Alano Espanhol (Buldogue Espanhol)
Avalie esta postagem

Aqui você encontra tudo para o seu pet.

Pets Perdidos Adoções
Pets Perdidos Achados
Pets Perdidos Perdidos
Pets Perdidos Forum
Pets Perdidos Encontros
Pets Perdidos Serviços
Dra Talita Dal Evedove Lopes. CRMV-SP 26.406

Dra Talita Dal Evedove Lopes, Médica Veterinária (CRMV-SP 26.406)

Formada pela Universidade Anhembi Morumbi em 2009, pós graduada em clínica médica de pequenos animais, especializada em Acupuntura Veterinária, Homeopatia Veterinária, Floral e Reiki Veterinário.
Médica Veterinária do Centro Veterinário Manuel Lopes.
Responsável pelos conteúdos técnicos do Encontros Pet.
Envie sua duvida pra gente: [email protected]

Encontros Pet

Comentários